terça-feira, 10 de outubro de 2017

365 dias ou 8760 horas, como preferires

Não sei, não me perguntes. Aliás, nem sequer te saberia responder, mesmo que perguntasses. Passou um ano, passaram 365 dias, passaram 8760 horas, é como tu preferires. 

Após teres apanhado esse comboio que te transportou para um mundo alternativo ao nosso, acho que tudo ficou um pouco mais escuro, sabes? Tudo foi perdendo a cor aos poucos. Eras a cor que preenchia a tela que é este local em que habito. Sempre foi um privilégio poder orgulhar-te.

Nos teus olhos eu sentia vivacidade, e orgulho de tudo o que vivias e que outrora tinhas construído.

Melancólica é esta saudade que sinto do teu cheiro, da tua presença, dos teus conselhos sábios, da tua voz carinhosa, do teu saber estar, da tua calma e pacificidade, de ti.

Não foste a mera representação de uma simples figura paternal, foste muito mais, foste tudo isso e mais alguma coisa, foste força, foco e fé, tudo isso, num só.

Sinto-te presente, mas não te sinto, e pelas palavras desabafo ofegante, aliviando o que vou sentindo. 
Prometo-te, com todas as minhas forças que te vou orgulhar, quer passem 365, 730, 1460, quer passem os dias, que passem, eu vou-te orgulhar.

0 comentários:

Publicar um comentário

Posts mais visualizados