quinta-feira, 26 de julho de 2018

Uma análise da noite

Ninguém, obviamente, pensa de forma igual. Já em muitos textos referi que cada pessoa é uma caixinha cheia de tudo e mais alguma coisa. Mas, há um pensamento que penso que se assemelha a muita gente. Pelo menos, comigo é assim.

Tenho um pensamento bastante genuíno e trabalhado em relação ao cair da noite, observem: Há alguns tempos sentei-me diante da janela enquanto fumava um cigarro, e comecei a analisar o que sentia ao longo de cada instante, no qual o tempo passava. Quando o sol se pôs senti uma verdadeira nascente de pensamentos positivos e vontade de querer fazer algo de bom, algo novo, algo que nunca tivesse experienciado.

Porém, após o sol se pôr, e aquando a noite caía comecei a sentir uma mágoa vinda do nada, senti a felicidade a fugir-me por entre os dedos das mãos, sem entender o porquê.

Apercebi-me que sou feliz de dia. E sou feliz à noite. Sou feliz em qualquer altura do dia, mas... Eu sei, eu sei, é confuso, tentarei explicar-me da melhor forma.

Apercebi-me que o cair da noite, para mim, representa uma fuga enorme de coisas boas, é à noite que me torno mais pensativo, é à noite que questiono mais, é à noite que me pergunto: "Sou capaz?", e é de dia em que tenho a coragem necessária para me dizer a mim mesmo "Sou capaz!". Sim, é confuso.. Mas é o que sinto... Sou confuso

0 comentários:

Publicar um comentário

Posts mais visualizados