domingo, 5 de março de 2017

A frieza aos olhos de quem te viu passar

Vi-te passar, sabes? Vi-te passar a cada dia pela minha vida.
Passaste, vieste e foste... Fizeste-me ter uma noção bem concreta de tudo isto, sabes?
Tinha tanto para te perguntar, tantos dogmas desta sociedade em que vivemos para discutir contigo, tantas conversas tardias para partilhar contigo, tantos momentos dignos de um bom copo de vinho requintado, tantos momentos paralelos e sentidos. 

Agradeço, mas agradeço sem ter a noção do quanto agradeço, e, enquanto cristão que sou, peço a Deus a tua guarda, a tua felicidade aí por cima.. Continuo a dizer-te sempre, havemos de nos reencontrar, se não aí em cima, numa futura vida, quem sabe? Mas, acredita, estou seguro que nos havemos mesmo de encontrar. Não me perguntes porquê, não sei, sinto isso mesmo. 

Passaste por mim durante 17 anos, tomaste conta de mim por 17 anos, fizeste de mim quem sou hoje, e tenho uma imensa gratidão por assim ter sido.

As nossas conversas, os nossos momentos, bons ou maus, todos ficaram por aqui, presentes, enquanto memórias pousadas num interior refletido em atitudes praticadas diariamente que mudaram a minha forma de ser, que me fizeram ser uma pessoa cada vez mais sábia, cada vez mais distinta deste mundo tão monótono.


Vemo-nos por aí...
E como tu sempre dizias, sempre que nos despedíamos, para eventualmente podermos desfrutar de uma boa conversa tardia: "Até sempre"... Nunca to disse, mas nunca gostei dessa expressão, talvez por ter medo de enfrentar essa mesma realidade, a cruel realidade de não saber quando teria a possibilidade de te ver.

E, assim foi, tive de enfrentar essa realidade, tentando interiorizar que onde quer que estejas, estás bem. Obrigado,
Um abraço "lela".




0 comentários:

Publicar um comentário

Posts mais visualizados